O que os consumidores pensam sobre o cenário das novas mídias?

pesquisa de comércio de geração

Há um dilema interessante ao pedir realimentação por meio de uma pesquisa versus coleta real comportamento. Se você perguntar a qualquer consumidor se ele gosta de publicidade, alguns poucos selecionados podem pular para cima e para baixo sobre como eles não podem esperar o próximo anúncio aparecer no Facebook ou o próximo comercial durante seu programa de televisão favorito. Eu nunca conheci essa pessoa ...

A realidade, claro, é que as empresas anunciam porque funciona. É um investimento. Às vezes, o investimento é de longo prazo em reconhecimento da marca e alcance onde um retorno direto do investimento não é esperado. Outras vezes, é uma campanha forte ... talvez um desconto ... que deve gerar uma resposta imediata. Embora os consumidores digam que não gostam de publicidade e podem evitar a publicidade, eles ainda reagem quando a publicidade é relevante para seus interesses ou demandas.

Isso é apenas uma palavra de cautela ao analisar a resposta da pesquisa. Os resultados desta pesquisa do grupo Acquity fazem um excelente trabalho comparando a reação do consumidor nos novos canais de mídia em comparação com os canais tradicionais. O Facebook, por exemplo, está se aproximando da autoridade da publicidade em jornais. No entanto, a TV e a Impressão ainda detêm o mercado para atrair novos clientes com conteúdo de marca.

Sempre disse que os consumidores não vão ao Facebook para fazer sua próxima compra, então não tenho dúvidas de que não há muita valorização por conteúdo patrocinado lá - embora os descontos possam ser eficazes. Em outras palavras ... os consumidores realmente não se importam em estabelecer um relacionamento pessoal com sua marca - apenas dê-lhes um acordo se o fizerem.

O Acquity Group, parte da Accenture Interactive, entrevistou 2,000 consumidores dos EUA sobre suas expectativas de envolvimento com a marca em um cenário comercial em constante mudança. Eles examinaram seus hábitos e preferências em relação ao engajamento digital, compras e serviços para descobrir tendências que impactarão as marcas em 2015 e além.

As oportunidades, em minha opinião, estão alavancando a demanda de seus clientes relevância e resposta. Se os consumidores virem que se envolver com uma marca vai conseguir o que querem e quando querem, eles se inscrevem!

Baixe o relatório completo - Acquity Group, Estudo de próxima geração de comércio de 2015.

consumidor-comércio-inquérito

4 Comentários

  1. 1
    • 2

      Não sou um grande fã de descontos, Paul. Sinto que você consegue os clientes errados e desvaloriza seu produto ou serviço. Mas as pesquisas dizem continuamente que as pessoas seguem marcas nas redes sociais porque estão esperando ofertas, descontos ou cupons.

  2. 3
    • 4

      Essa é uma questão fascinante e tem múltiplas dimensões. Sempre hesito em reivindicar o "topo" porque é relevante para as necessidades do negócio e como eles estão se comunicando de forma eficaz com seus clientes em potencial. Para Novas mídias:

      • Acho que há algumas mudanças incríveis no vídeo, então eu começaria com Blab. A possibilidade de realizar esta videoconferência aberta com a participação do público é uma experiência única e muito gratificante.
      • Snapchat provavelmente seria o próximo. Por causa do aspecto temporário das atualizações, está fazendo com que as empresas e as pessoas sejam mais transparentes. Eles se sentem mais seguros.
      • Sysomo Gaze é um grande avanço no monitoramento de mídia social que permite às empresas ouvir suas marcas sendo exibidas em vídeo e imagens, em vez de mencionadas em texto.
      • Optimove é uma empresa que usa aprendizado de máquina para prever e apresentar experiências de usuário ideais para fazer os visitantes avançarem no funil de conversão.
      • Apple tem que ser mencionado ... não apenas porque sou um fanboy, mas o Apple Watch é um avanço promissor em tecnologias vestíveis.

O que você acha?

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.