Psicologia da publicidade: como o pensamento versus o sentimento afeta suas taxas de resposta à publicidade

Psicologia da publicidade: pensamento versus sentimento

O consumidor médio é exposto a um enorme volume de publicidade a cada 24 horas. Passamos de um adulto médio exposto a 500 anúncios por dia na década de 1970 para até 5,000 anúncios por dia hoje. Isso é cerca de 2 milhões de anúncios por ano que a pessoa média vê! Isso inclui rádio, televisão, pesquisa, mídia social e anúncios impressos. Na verdade, 5.3 trilhões de anúncios gráficos são exibidos online a cada ano. Visto que somos expostos a tanta publicidade, como os anunciantes e profissionais de marketing têm certeza de que seus anúncios se destacam? Psicologia.

A boa publicidade atinge nossa resposta emocional ou racional. A resposta emocional a um anúncio tem uma influência muito maior na intenção de compra do consumidor do que o conteúdo real do anúncio. Ao explorar o orgulho, o amor, as realizações únicas, a empatia, a solidão, as amizades ou as memórias - você pode dobrar a taxa de resposta de seu anúncio.

Dentro do conteúdo do anúncio, tom, cor, voz, verbosidade e cor pode ter um impacto dramático na percepção de um anúncio. Este infográfico, Thinking vs. Feeling: The Psychology of Advertising, criado pela University of Southern California's Master of Science in Applied Psychology Online Programa divide os dois tipos de resposta emotiva à publicidade:

  • Empatia - um anúncio faz com que as pessoas se sintam mais próximas de sua marca.
  • Criatividade - um anúncio faz as pessoas sentirem que sua marca é imaginativa e à frente do jogo.

O infográfico também oferece três ótimos exemplos de publicidade do mundo real que leva os consumidores à montanha-russa das emoções, como Dove, Coca-Cola e Google.

Psicologia da publicidade: pensamento versus sentimento

O que você acha?

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.